A falta de sono deixa-nos mais gordos, doentes e com o organismo desequilibrado. A privação de sono pode tornar-se tão perigosa quanto conduzir alcoolizado, ter uma má alimentação ou não praticar atividade física. É importante que se perceba que mais do que acordar sonolento no dia seguinte, há consequências muito graves.
A privação de sono a longo prazo pode levar ao aumento do risco de diabetes, obesidade, doenças cardíacas e acidentes vasculares cerebrais.

Uma pesquisa da Universidade de Uppsala (Suécia) descobriu que uma única noite sem dormir pode levar a mudança metabólicas, que levam ao aumento de peso e ao aparecimento de doenças crónicas.
No estudo sueco lê-se que a perda de uma noite de sono interfere também na regulação da expressão génica – o processo através do qual a informação contida nos genes é convertida em moléculas que determinam as propriedades da célula.

 Acha que dorme o suficiente? Faça o teste!

O impacto que a falta de sono tem no metabolismo, é fundamentado por outra investigação publicada pela Associação Americana de Psicologia, onde se afirma que perder apenas seis horas de sono pode ter um impacto adverso no metabolismo, como o aumento do risco de diabetes.
Para chegarem a esta descoberta, os investigadores examinaram dois grupos de ratos. Durante o estudo, ambos os grupos tiveram acesso a água com açúcar e a alimentos ricos em gordura. No entanto, um dos grupos dormia o que quisesse, enquanto o outro grupo ficou acordado seis horas, todas as noites.

Logo após a primeira noite, o grupo privado de sono apresentou níveis mais elevados de açúcar no sangue e triglicerídeos hepáticos mais altos, um sinal de alerta precoce de diabetes. Além disso, a enzima que modula o metabolismo também não funcionou da mesma maneira após a privação do sono, sugerindo que o sono pode provocar alterações a nível celular.