Durante os nove meses de gestação, o sono das grávidas passa por várias fases e “dormir bastante” é provavelmente um dos conselhos que mais ouvem. O corpo vai respondendo às exigências da gestação e, com pequenas alterações na posição de dormir, é possível ter uma noite confortável.

No primeiro trimestre, os elevados níveis de progesterona, o aumento do volume de sangue na circulação e o trabalho extra exigido ao coração para fazer para chegar o sangue ao corpo da mãe e do bebé contribuem para um aumento significativo do cansaço, originando uma maior necessidade de dormir. A grávida pode passar a dormir entre 10 a 12 horas. Exceto alguns enjoos e alguma ansiedade, o sono decorre sem grandes alterações.

 

Com o segundo trimestre, regista-se uma regularização do sono. A sonolência excessiva desaparece e a disposição e humor da futura mãe melhoram. Os exames médicos e os movimentos do bebé deixam a grávida mais tranquila e a barriga ainda é facilmente “acomodada”.

Mas é também por esta altura que é necessário colocar em prática alguns “ajustes”, uma vez que dormir de barriga para baixo deixa de ser confortável e dormir de barriga para cima também não ajuda quem têm tendência para sofrer de ronco ou apneia. Os especialistas sugerem, assim, que a melhor posição para as gestantes dormirem melhor é o decúbito lateral esquerdo.

E qual a explicação? Deitar-se sobre o lado esquerdo do corpo deixa livre a veia cava, que devolve o sangue da parte inferior do corpo ao coração. À medida que a barriga vai crescendo, o útero pressiona cada vez mais essa veia o que pode provocar falta de ar.

 

No terceiro semestre, voltam as noites agitadas em busca da melhor posição para evitar o desconforto na zona lombar e nas pernas. No final da gravidez, o útero está tão grande e pesado que dormir de barriga para cima pode mesmo comprometer a circulação do sangue para a placenta. Alguns estudos apontam mesmo risco de vida para o bebé.

Já quando a mulher está deitada sobre o lado esquerdo, o fluxo de sangue e de nutrientes para a placenta aumenta. A posição pode estimular também a função renal, ajudando a diminuir edemas e inchaços. Assim, a grávida deve dormir virada para o lado esquerdo, pelo menos a maior parte da noite. Caso sinta muito desconforto na coluna, pode virar-se por alguns segundos, mas deve voltar ao decúbito lateral esquerdo.

Na reta final da gravidez, ao desconforto físico, juntam-se: os movimentos do bebé, as idas à casa de banho (a bexiga está comprimida pelo útero), a ansiedade dos últimos dias associada ao parto e à expectativa de segurar finalmente o bebé…

O que pode fazer dormir com mais conforto?

 … Um mar de almofadas

Isso mesmo! Usar várias almofadas para apoiar o seu corpo. Uma almofada extra debaixo da cabeça pode ajudar a respirar melhor e contrariar a sensação de falta de ar provocada pela pressão sobre o diafragma, o músculo responsável pela respiração. Uma almofada entre os joelhos, para não ter descarga de peso sobre eles. Uma almofada por baixo da barriga e… mais uma para abraçar e descansar o ombro!

Dormir é fundamental para recuperar a energia e garantir uma gravidez tranquila. Com algumas adaptações simples, é possível tornar descansar de forma mais confortável e não passar noites em claro.

 

Dormir na gravidez? Sim, é possível!