Voluntários dormem melhor após ações de responsabilidade social, esta é uma das conclusões de um estudo português, apresentado no World Sleep Congress 2019, em Vancouver no Canadá, que analisou o trabalho desenvolvido pela equipa de voluntários da Associação Nuvem Vitória – um projeto de promoção do sono que todos os dias (entre as 20h e as 22h) lê histórias para pacientes pediátricos (desde o nascimento até aos 21 anos).

Mas há outras conclusões. Os resultados preliminares, numa amostra de pais/cuidadores, indicam que as crianças hospitalizadas, a quem foram lidas histórias de embalar, sentem-se felizes (46,7%) ou muito felizes (40%) após cada sessão de leitura.

Todos os pais e cuidadores inquiridos nesta análise consideraram estas ações benéficas, afirmando que foram úteis (33,3%) ou muito úteis (66,7%) para lidar com a hospitalização. Os principais motivos referidos foram: o momento de contar histórias acalma as crianças (26,7%) e aproxima as famílias das rotinas que habitualmente têm em casa (13,3%).

A psicóloga e especialista do sono, Teresa Rebelo Pinto, que coordenou o estudo, lembra que “a promoção de comportamentos saudáveis do sono é importante em todos os contextos, assumindo particular relevância no contexto hospitalar, já que a má qualidade do sono pode interferir na regulação do sistema imunitário, e consequente recuperação”.