É um facto: adolescentes que dormem menos comem mais. E quando dizemos mais, queremos também dizer pior.
Já se sabe que pessoas que dormem menos têm tendência a consumir mais alimentos ricos em gordura e proteína. No caso dos adolescentes é fácil perceber o que estas escolhas fazem ao metabolismo e como tudo isto leva ao ganho de peso e, em casos mais graves, à obesidade.

Percebeu-se também que existe uma relação entre o número de horas dormidas e a forma como os adolescentes comem entre refeições. Assim, por cada aumento de uma hora na duração do sono, diminui em 21% a probabilidade de haver um elevado consumo de calorias durante os lanches (ou que se come entre a sprincipais refeições).

Investigadores verificaram ainda que, em comparação com adolescentes que dormiam oito horas ou mais, os adolescentes com menos de 8 horas diárias de sono consumiam 2,2% mais calorias provenientes de gorduras e 3% menos calorias provenientes de hidratos de carbono.

O adolescente aí de casa dorme menos de oito horas? Se sim, saiba que há risco acrescido associado à obesidade e a todos os problemas de saúde que daí derivam (tensão alta, doenças cardíacas, AVC…).

man on front of vending machines at nighttime

Quando se fala em privação de sono em adolescentes, pensa-se rapidamente nos possíveis acidentes em que podem envolver-se, na fraca capacidade de concentração ou nos maus resultados escolares.
Mas muitos estudos têm-se focado nas consequências para a saúde. Especialmente porque a privação de sono, nesta idade, pode ser mais grave do que nos adultos, até porque há hábitos de vida que ficarão estabelecidos nesta fase da vida. Por isso, um adolescente que costuma dormir mal e alimentar-se pior, será provavelmente um adulto com excesso de peso, altura em que será muito mais difícil mudar hábitos ou perder peso.